10 ótimos filmes brasileiros para assistir na Netflix

Por Redação Wolfoxy - em Cinema - 28 de abril de 2017

Para quem gosta de filmes brasileiros, a Netflix conta com diversos longas bacanas. Mas se você é do tipo que ainda torce o nariz para o cinema produzido por aqui, então só temos uma coisa a dizer: está mais do que na hora de você abrir esse coraçãozinho! Por isso, separamos nessa seleção 10 ótimos filmes brasileiros que você encontra na Netflix:

1. Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

Foto: (Reprodução)

Esse é um dos melhores filmes LGBT já feitos no Brasil, mas não apenas isso: é também um trabalho sério e muito bem executado a respeito da adolescência, o que não é algo tão comum no cinema nacional. O longa de Daniel Ribeiro ganhou diversos prêmios no exterior, inclusive no prestigiado Festival de Berlim, e foi escolhido para representar o Brasil na corrida pela indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Assista também ao excelente curta-metragem que originou o longa: Eu Não Quero Voltar Sozinho.

2. Chatô – O Rei do Brasil

Foto: (Reprodução)

Esse é basicamente o filme mais polêmico do cinema nacional, por conta da megalomania e das trapalhadas de Guilherme Fontes na sua realização. Pra se ter uma ideia, o lançamento do longa estava previsto para 1997, mas foi acontecer só em 2015! Bom, bafafás à parte, esse não é um filme genial, mas vale dar uma chance. Não só pelas tretas históricas, mas também para conhecer um pouco desse cara chamado Assis Chateubriand, um dos brasileiros mais emblemáticos do século XX.

3. Ó Paí, Ó

Foto: (Reprodução)

O Pelourinho, em Salvador, é o cenário dessa comédia dramática carregada de brasilidade. Os plots são variados e contam diversas histórias paralelas, que se costuram ao som da bela trilha sonora de Caetano Veloso. Tudo se passa no último dia de Carnaval, onde cenas alegres e vibrantes dialogam com boas pitadas de crítica social. Destaque para a fala impactante (e sempre atual) de Lázaro Ramos sobre racismo.

4. Flores Raras

Foto: (Reprodução)

Esse drama sensível conta a surpreendente história de amor entre uma das maiores poetisas do século XX, a britânica Elizabeth Bishop, e a arquiteta carioca Lota de Macedo Soares. Esse romance real iniciou-se nos anos 1950 e Lota jamais escondeu que era lésbica, apesar de ser uma das urbanistas mais influentes da época. Glória Pires e e a australiana Miranda Otto brilham muito como protagonistas.

5. Colegas

Foto: (Reprodução)

Grande vencedor do Festival de Cinema de Gramado, em 2012, esse é o primeiro filme brasileiro protagonizado por atores com síndrome de Down. A comédia é um road movie inspirado em Thelma & Louise e Pequena Miss Sunshine. Além de ser um projeto pioneiro em se tratando de representatividade e inclusão, esse é um filme delicioso e extremamente sensível. Ah, e a direção de arte com pegada retrô é outro ponto forte.

6. Cazuza – O Tempo Não Para

Foto: (Reprodução)

Essa comovente cinebiografia é um prato cheio para quem gosta de conhecer a história de ícones da música. Mais do que isso, ao assumir-se soropositivo, Cazuza foi uma celebridade pioneira no Brasil e o filme retrata bem isso. Daniel Oliveira vive o papel de sua vida e surpreende pela entrega total ao personagem principal. Não menos marcante é a interpretação de Marieta Severo, como a mãe do cantor.

7. Nise – O Coração da Loucura

Foto: (Reprodução)

Temos aqui outra grande atuação de Glória Pires e, novamente, dando vida a uma personagem real. Nise da Silveira foi uma psiquiatra que fez história nos anos 1940 por batalhar pelo fim dos tratamentos cruéis em manicômios. Mais do que uma cinebiografia, o filme também serve como homenagem, por lembrar da incrível trajetória de uma mulher cuja saga é desconhecida pelo grande público.

8. VIPs

Foto: (Reprodução)

Lembra de Prenda-me Se For Capaz, com Leo DiCaprio e Tom Hanks? Pois existe uma história bem parecida que rolou aqui mesmo, no nosso Brasilzão! Marcelo Nascimento da Rocha viveu durante anos sob identidades falsas e chegou a convencer João Kleber de que era o dono da Gol numa entrevista para a TV. Como não poderia deixar de ser, essa história virou filme e conta com o sempre ótimo Wagner Moura no papel principal.

9. Beira-Mar

Foto: (Reprodução)

Assim como Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, esse é um filme LGBT sobre a descoberta da sexualidade na adolescência. Mas não se engane: a abordagem aqui é completamente diferente. Beira-Mar conta com uma narrativa bem mais lenta e contemplativa, que remete ao cinema europeu independente. Os cineastas Filipe MatzembacherMarcio Reolon (que assinam roteiro e direção) foram indicados a Melhor Filme de Estreia no Festival de Berlim.

10. O Roubo da Taça

Foto: (Reprodução)

Esse é o primeiro filme brasileiro produzido pela Netflix e vale muito a pena assistí-lo. Primeiramente, porque ele se baseia em uma história real e inacreditável: o roubo da taça da Copa do Mundo, em 1983. Além disso, a trama é ágil, engraçada e inteligente, com ótimas atuações de Taís AraújoPaulo Tiefenthaler. Ah, e apesar de esse ser um filme cheio de brasilidade, ele passa longe daquelas comédias pastelão típicas do cinema nacional.