Conheça algumas teorias e rumores sobre Game of Thrones!

Por Redação Wolfoxy - em Game of Thrones - 10 de março de 2017

Teorias, teorias e mais teorias!

Atenção! Este artigo possui teorias e possíveis spoilers.

Depois da grande expectativa – e da grande trollagem (já que o mundo todo continua nas teorias) de David Benioff, D.B. Weiss e George R.R. Martin – para a comprovação do “R + L = J” em “Oathbreaker”, episódio de Game of Thrones que foi ao ar no último domingo (08), esta semana algumas teorias que poderão ser provadas ou refutadas serão apresentadas, e é claro, sobre como elas influenciam diretamente os rumos da série nesta (e nas próximas temporadas). São quatro teorias e dois rumos, ou seja, muito material para se divertir.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

 A Origem de Jon Snow

(Foto: HBO/Reprodução)

(Foto: HBO/Reprodução)

Essa teoria já é velha, mas quando foi anunciado a Batalha da Torre da Alegria (que, para situar o leitor na linha do tempo, acontece depois da morte de Rhaegar no Tridente e do regicídio do Rei Louco por Jaime Lannister), seria mostrada na série, todo mundo com um pouco de conhecimento da lore meio que esperou a promessa que Lyanna impôs a Ned fosse revelada, e que essa promessa fosse para que ele protegesse e guardasse o filho dela com Rhaegar. E como a batalha aconteceu na mesma época do nascimento de Jon Snow, a torcida para que ele seja o “gelo” das Crônicas, uma das três cabeças do Dragão, é muito forte. Mas por hora, a série resolveu manter apenas as expectativas, já que o menino Bran foi interrompido pelo Corvo de Três Olhos antes que fosse descoberto mais dos mistérios da Torre. No entanto, pelo rumo que a série está seguindo – e é claro, por falta de mais livros para adaptar – a série parece decidida a nos levar nessa direção, e é possível que no quinto ou sexto episódio apareçam mais desenrolares dessa teoria.

Jon Snow é Azor Ahai

(Foto: HBO/Reprodução)

(Foto: HBO/Reprodução)

Existe uma variação desta teoria que diz que Daenerys na verdade seria o herói lendário, destinado a livrar o mundo dos Outros. E todo um lore sobre fumaça e sal, sobre a estrela vermelha, sobre sobreviver ao fogo, foi construído para embasar ambas as teorias. Mas na disputa por esse título, Jon Snow tem uma vantagem no canon: entre as visões que Daenerys tem na Casa dos Imortais, ela vê Rhaegar, e ele diz que o filho recém-nascido dele é o “Príncipe Prometido”. Então, se for tomado R + L = J como verdade, Jon seria aquele que ajudaria a livrar o mundo dos Outros. Há mais uma coisa que reforça a teoria. Segundo o lore, Azor Ahai deve se unir às Crianças da Floresta, e se essa união falhar, o mundo cairá. E se pensarmos em conexão com as Crianças, Jon Snow já sai em vantagem, já que Bran – que, mesmo que eles sejam primos e não meios-irmãos, foi criado junto de Jon – está atualmente sendo treinado nos paranauês das Crianças.

Tyrion é um Targaryen

(Foto: HBO/Reprodução)

(Foto: HBO/Reprodução)

Aqui o fandom já começa a exagerar um pouco – tudo por culpa de Martin, que não termina logo de escrever esses livros – mas existe uma teoria muito defendida de que Tyrion seria filho do Rei Louco com Joanna Lannister, a esposa de Tywin. Lady Joanna era uma das damas de Rhaella Targaryen, a esposa do Rei Louco, o que teria possibilitado o envolvimento dos dois. A teoria vai usar fatos como Tyrion não ter sido contaminado pela escamagris quando caiu no Rhoine (seria a “imunidade” dos Targaryen as doenças em efeito), a cor mais clara dos cabelos dele (nos livros), seu fascínio com os dragões (e, se considerar a série, o fato de que ele não teve problemas para remover as correntes dos dragões em Meereen) e até mesmo o seu nanismo e a morte da mãe após o parto (que são atribuídos a possíveis tentativas de aborto mal sucedidas) como elementos que a validem. É claro que a teoria esbarra em questões de linha do tempo, já que Joanna foi dispensada do serviço de Rhaella muito antes de seu casamento (impedindo que o Rei Louco tivesse usado o direito do suserano à noite de núpcias). Mas, como o dragão precisa de três cabeças, talvez a série – que Martin já declarou, traçou um caminho muito diferente para um personagem do que será feito nos livros – pense numa maneira de juntar essas pontas para todos.

O Destino dos Stark

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Esta é, definitivamente a teoria mais bizarra de todo o fandom, e mesmo assim, quanto mais se pensa nela, mais ela faz sentido. O youtuber Calluna pegou a teoria que diz que cada um dos Stark representa um arquétipo dos Sete Deus da Fé e a transformou em algo quase brilhante. A teoria original dizia que cada um dos Stark do início da saga (Ned, Catelyn, Robb, Sansa, Arya, Bran e Rickon) representaria um desses deuses e que o destino final do Stark seria a inversão do arquétipo que eles incorporam. Confuso, sim, mas a análise será por partes. Ned seria o Pai, que representa a justiça, e por isso, o destino final dele foi, por tentar exercer essa justiça na questão da sucessão de Robert, ser traído, rotulado como traidor e morto. Catelyn seria a Mãe, que representa fertilidade e compaixão. Ela teve cinco filhos, então OK no quesito fertilidade. Mas o destino final dela – ocultado parcialmente na série, mas presente nos livros – foi perder esses filhos, ao ponto de ver um deles ser brutalmente traído e assassinado na frente dela, depois perder a vida, e ser ressuscitada como a Senhora Coração de Pedra, um espírito de pura vingança. Robb seria o Guerreiro, a força em batalha, mas ele acaba morto fora de uma batalha honrada e para pagar por decisões que ele fez fora do campo de batalha. Sansa seria a Donzela, inocência e beleza, mas acaba tendo a sua inocência maculada pelas tragédias e sua beleza usada em vários casamentos arranjados e em deus sabe o que mais que Little Finger tenha planejado. Arya seria o Estranho, morte e desconhecido, mas para se tornar verdadeiramente Ninguém, Uma Garota deverá abandonar até mesmo a sua “to kill list”. A teoria enfraquece ao falar de Bran, que seria a Velha, que representa a sabedoria, porque não fica claro qual seria o oposto desse arquétipo. Last but not least, temos Rickon como o Ferreiro, que significa a criação e o artesanato. A teoria também é fraca aqui, porque o Rickon que vimos no último domingo provavelmente está mais interessado em purgar Winterfell dos Bolton do que em reconstruí-la – além do mais, quando os Outros chegarem, não acho que vá sobrar uma Winterfell para se reconstruir. A teoria exclui Jon Snow, porque ele só seria meio Stark, e porque a ligação dele com os Deuses Antigos do Norte é muito mais óbvia.

O preço e o propósito do Retorno de Jon Snow

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Em termos de Rumos, este deveria ser o primeiro a ser abordado agora que o ex-Senhor Comandante deixou a Patrulha. Nos livros e na série, outro personagem, muito notório por voltar à vida seis – isso mesmo, seis – vezes serve como um exemplo das consequências de ser tomado da Escuridão tantas vezes. Beric Dondarrion foi ressuscitado seis vezes por Thoros de Myr, e mesmo que não seja revelado se há um preço para quem traz o morto à vida – watch out for the harvest Melisandre!Lord Beric sente um forte apagamento de sua identidade. N’A Tormenta das Espadas, ele chega a dizer que “Eu posso me debruçar naquilo que eu escassamente me lembro? Eu mantive um castelo em Marches uma vez e havia uma mulher que eu estava prometido para casar, mas eu não consigo encontrar esse castelo hoje e nem te dizer a cor do cabelo daquela mulher. Quem me nomeou cavaleiro, velho amigo? Quais eram minhas comidas favoritas? Tudo isso se desvanece. Às vezes, eu acho que eu nasci na grama sangrenta daquele bosque de cinza, com o gosto de fogo em minha boca e um buraco em meu peito. Você é minha mãe, Thoros?”. A questão do propósito, algo que a própria Melisandre questiona quando Jon retorna, também é importante. Beric foi trazido de volta repetidas vezes para que ele pudesse ressuscitar Catelyn como a Senhora Coração de Pedra, teria Jon Snow recebido a vida para passá-la adiante ou para assumir seu papel como Azor Ahai? Ou, para introduzir o próximo rumo, lutar uma Batalha de expurgo no Norte?

A Batalha dos Bastardos

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Este é um rumo – já garantido pela produção – que o público espera ver, tanto na série quanto nos livros. Bryan Cogman, produtor e roteirista da série, disse que a equipe sempre quis fazer uma grande batalha, com dois exércitos reais lutando. Uma cena que, diferente do que foi feito na temporada passada, tenha realmente centenas de figurantes se digladiando e pouco ou nenhum CGI. Nesta temporada, tudo indica que isso vai acontecer. Livre de seus votos, Jon poderá comandar um exército que, de acordo com os comunicados da equipe, vem com Gigante incluso, e ele já tem o nemesis perfeito: Ramsey. As fontes do Watchers of the Wall já disseram que até mesmo Sansa e Davos estarão nessa batalha (o que significa que a moça vai se unir ao Cavaleiro das Cebolas), para não mencionar dois corpos esfolados e em chamas já vistos na locação – que podem ser Rickon e Osha. Os Outros farão uma aparição na batalha sim e, de acordo com um comentarista do Winter is Coming, Ramsey encontrará seu fim, e será um fim inusitado.